quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

1° de Dezembro é o "Dia Mundial de Luta Contra a Aids"




Em 1º de dezembro, comemora-se o Dia Mundial de Luta Contra a Aids. E a campanha deste ano dará enfoque nos jovens gays de 15 a 24 anos das classes C, D e E.

A ação busca discutir as questões relacionadas à vulnerabilidade ao HIV/aids, na população prioritária, sob o ponto de vista do estigma e do preconceito.

Além disso, a ideia é estimular a reflexão sobre a falsa impressão de que a aids afeta apenas o outro, distante da percepção de que todos estamos vulneráveis.

Aids no Brasil

Desde o início da epidemia, em 1980, até junho de 2011, O Brasil tem 608.230 casos registrados de aids (condição em que a doença já se manifestou), de acordo com o último Boletim Epidemiológico. Em 2010, foram notificados 34.218 casos da doença e a taxa de incidência de aids no Brasil foi de 17,9 casos por 100 mil habitantes.

Observando-se a epidemia por região em um período de 10 anos, 2000 a 2010, a taxa de incidência caiu no Sudeste de 24,5 para 17,6 casos por 100 mil habitantes. Nas outras regiões, cresceu: 27,1 para 28,8 no Sul; 7,0 para 20,6 no Norte; 13,9 para 15,7 no Centro-Oeste; e 7,1 para 12,6 no Nordeste. Vale lembrar que o maior número de casos acumulados está concentrado na região Sudeste (56%).

Atualmente, ainda há mais casos da doença entre os homens do que entre as mulheres, mas essa diferença vem diminuindo ao longo dos anos. Esse aumento proporcional do número de casos de aids entre mulheres pode ser observado pela razão de sexos (número de casos em homens dividido pelo número de casos em mulheres). Em 1989, a razão de sexos era de cerca de 6 casos de aids no sexo masculino para cada 1 caso no sexo feminino. Em 2010, chegou a 1,7 caso em homens para cada 1 em mulheres.

A faixa etária em que a aids é mais incidente, em ambos os sexos, é a de 25 a 49 anos de idade. Chama atenção a análise da razão de sexos em jovens de 13 a 19 anos. Essa é a única faixa etária em que o número de casos de aids é maior entre as mulheres. A inversão apresenta-se desde 1998. Em relação aos jovens, os dados apontam que, embora eles tenham elevado conhecimento sobre prevenção da aids e outras doenças sexualmente transmissíveis, há tendência de crescimento do HIV.

Quanto à forma de transmissão entre os maiores de 13 anos de idade, prevalece a sexual. Nas mulheres, 83,1% dos casos registrados em 2010 decorreram de relações heterossexuais com pessoas infectadas pelo HIV. Entre os homens, 42,4% dos casos se deram por relações heterossexuais, 22% por relações homossexuais e 7,7% por bissexuais. O restante ocorreu por transmissão sanguínea e vertical.

Apesar de o número de casos no sexo masculino ainda ser maior entre heterossexuais, a epidemia no país é concentrada. Ao longo dos últimos 12 anos, a porcentagem de casos na população de 15 a 24 anos caiu. Já entre os gays a mesma faixa houve aumento de 10,1% entre os gays da mesma faixa. Em 2010, para cada 16 homossexuais dessa faixa etária vivendo com aids, havia 10 heterossexuais. Essa relação, em 1998, era de 12 para 10.

Em números absolutos, é possível ver como a redução de casos de aids em menores de cinco anos é expressiva: passou de 863 casos, em 2000, para 482, no ano passado. Comparando-se os anos de 2000 e 2010, a redução chegou a 55%. O resultado confirma a eficácia da política de redução da transmissão vertical do HIV (da mãe para o bebê).

Quando todas as medidas preventivas são adotadas, a chance de transmissão vertical cai para menos de 1%. Às gestantes, o Ministério da Saúde recomenda o uso de medicamentos antirretrovirais durante o período de gravidez e no trabalho de parto, além de realização de cesárea para as mulheres que têm carga viral elevada ou desconhecida. Para o recém-nascido, a determinação é de substituição do aleitamento materno por fórmula infantil (leite em pó) e uso de antirretrovirais.

Atento a essa realidade, o governo brasileiro tem desenvolvido e fortalecido diversas ações para que a prevenção se torne um hábito na vida dos jovens. A distribuição de preservativos no país, por exemplo, cresceu mais de 60% entre 2005 e 2010 (de 202 milhões para 327 milhões de unidades). Os jovens são os que mais retiram preservativos no Sistema Único de Saúde (37%) e os que se previnem mais. Modelo matemático, calculado a partir dos dados da PCAP de 2008, mostra que quanto maior o acesso à camisinha no SUS, maior o uso do insumo. A PCAP é a Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas relacionada às DST e Aids da População Brasileira de 15 a 64 anos de idade.

Em relação à taxa de mortalidade, o Boletim também sinaliza queda. Em 12 anos, a taxa de incidência baixou de 7,6 para 6,3 a cada 100 mil pessoas. A queda foi de 17%.




Questões de vulnerabilidade 
O levantamento feito entre jovens, realizado com mais de 35 mil meninos de 17 a 20 anos de idade, indica que, em cinco anos, a prevalência do HIV nessa população passou de 0,09% para 0,12%. O estudo também revela que quanto menor a escolaridade, maior o percentual de infectados pelo vírus da aids (prevalência de 0,17% entre os meninos com ensino fundamental incompleto e 0,10% entre os que têm ensino fundamental completo).

O resultado positivo para o HIV está relacionado, principalmente, ao número de parcerias (quanto mais parceiros, maior a vulnerabilidade), à coinfecção com outras doenças sexualmente transmissíveis e às relações homossexuais. O estudo é representativo da população masculina brasileira nessa faixa etária e revela um retrato das novas infecções.


Mais informações:


Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais
Ministério da Saúde
Assessoria de Imprensa

Tel: (61) 3306-7010/7016/7024/7051

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Campanha “Separe o lixo e acerte a lata” é veiculada em TVs e rádios

A riqueza ambiental e social do lixo também é ressaltada na campanha
Os ministérios do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Social começaram a veicular desde o domingo, 20 de novembro, a campanha “Separe o lixo e acerte a lata”. 
Ela está sendo divulgada nas principais emissoras de TVs e rádios do país, com a finalidade de alertar a população brasileira sobre a necessidade de mudança no comportamento em relação à coleta seletiva.

A campanha, que ficará no ar até o dia 8 de dezembro, procura mostrar os benefícios ambientais, sociais e econômicos do reaproveitamento dos resíduos sólidos do país, e como o simples gesto de separar o lixo seco do úmido irá possibilitar ao catador um acesso mais rápido e higiênico aos resíduos descartados.

A riqueza ambiental e social do lixo também é ressaltada na campanha, no intuito de demonstrar o desperdício de recursos naturais, gerados pela fabricação de novos produtos e a poluição provocada pelo seu consumo.

Uma das ideias da campanha é reforçar a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), aprovada em 2010, que prevê a desativação dos lixões até 2014. Quando a lei começar a vigorar, os aterros sanitários deverão receber apenas o que não poderá mais ser reciclado. Com esta realidade, a coleta seletiva e a logística reversa terão que ser implantadas em todos os estados e municípios.

Segundo os ministérios, divulgar as propostas da PNRS é importante para aumentar à reciclagem no Brasil, além de incentivar à população a separar, em casa, os resíduos secos dos úmidos.



Material reciclável

O lixo úmido (ou orgânico) é composto por restos de alimentos, cascas e ossos, pó de café e de chá, galhos e podas. Separados e reciclados, pode servir de adubo na produção agrícola ou como insumo para gerar energia.

O lixo seco, por sua vez, é todo o resíduo feito de papel (como caixas longa vida), vidro (potes de maionese), metal (latas de alumínio) e plástico (garrafas PET). Se limpos e separados corretamente, podem gerar emprego, renda e poupar recursos naturais. Com garrafas PET, por exemplo, é possível produzir madeira sintética ou um novo plástico.


Idéias sustentáveis - Reutilização de água

Sistemas reutilizam água da pia na descarga dos sanitários


Dar descarga pode se tornar algo mais inteligente e sustentável graças a uma criação da empresa Sloan Valve. O sistema é simples e capaz de evitar que 19 mil m3 de água potável escorram, literalmente, ralo abaixo todos os anos. O Sloan® AQUS® Greywater System filtra a água que cai pelo cano da pia e a reaproveitar no vaso sanitário.

O sistema reutiliza a água que cai da torneira e a utiliza na descarga


O sistema pode ser facilmente instalado em qualquer sanitário e conta pontos para conseguir o certificado LEED. A água que cai da pia passa por um filtro que limpa e retira as partículas mais pesadas. Depois essa água vai para um depósito localizado em baixo do lavabo. Quando alguém utiliza a descarga do vaso, um dispositivo bombeia a água que estava armazenada para o tanque do vaso e a utiliza na próxima descarga.

Um filtro retém a partículas maiores e o restante da água vai para a descarga.
PROFILE 5

Outro equipamento que visa melhorar a eficiência e racionar o uso de água é o Profile 5, criado pela empresa australiana Caroma. O sistema dois em um segue o mesmo princípio do Sloan® AQUS®, só que de forma ainda mais radical. A pia fica localiza em cima do vaso e a água utilizada para lavas as mãos já vai direto para o reservatório da descarga.

Além de otimizar espaço, o sistema garante uma economia de até 70% da água utilizada no banheiro. Graças a esses benefícios, o projeto foi escolhido como um dos 10 utensílios mais brilhantes do ano pela revista Popular Mechanics. A empresa ainda foi a primeira a ganhar a nota 5 em economia de água na Austrália e é membro de conselhos ecológicos tanto no Canadá quanto nos EUA




No Profile 5, a água já cai da pia diretamente do reservatório de água.



domingo, 27 de novembro de 2011

Hoje é dia de Eco Rad, na Praia da Biquinha em São Vicente



Deu início, na Praça Tom Jobim em São Vicente, a partir das 09:00 horas, o 1º “ Eco Rad” em prol da sustentabilidade, meio ambiente e a inclusão social. Evento irá reunir as mais variadas modalidades esportivas e também entidades sociais, atletas, voluntários, ecologistas, autoridades, empresários, estudantes e diversas outras agremiações em prol do meio ambiente, com o intuito de sensibilizar e informar os temas abordados pelo encontro para todos os participantes e o público presente.


Durante o evento serão promovidas diversas atividades que entre elas, estão programadas as gincanas ecológicas, competições, feiras artesanais, apresentação de grupos musicais, palestras ambientais, sorteio de prêmios, arrecadação de materiais reciclados e outros como pilhas e baterias, exposição de equipes e veículos de competição, arrecadação de alimentos e vestuário, demonstração de produtos e equipamentos fabricados com os conceitos ecologicamente corretos, clínicas esportivas e varias outras atividades.


Também estarão sendo arrecadados alimentos e vestuários para o fundo Social de Solidariedade de São Vicente, onde os contribuintes que doarem um 1kg de alimento ou roupas em bom estado de conservação, irão receber um numero para concorrer a dezenas prêmios, como também poderão participar das diversas clinicas esportivas.


Entre as competições haverá uma prova de revezamento de Stand Up Paddle, uma de Caiaque, outra de canoas havaianas e uma regata de vela.


Será transmitido flashs ao vivo do evento no site.