quarta-feira, 12 de setembro de 2012

SÃO VICENTE RECEBE CAMPEONATO MUNDIAL DE LUTA DE BRAÇO

Evento começa nesta quinta-feira e segue até domingo (13 a 16/09) no Centro de Convenções 


A partir desta quinta-feira (13/09) São Vicente receberá mais de 800 atletas do esporte conhecido popularmente no Brasil como “Braço de Ferro”. A Cidade sediará até este domingo (16/09) o Campeonato Mundial de Luta de Braço, que envolve 830 competidores de 50 países. O evento acontece das 10 às 19 horas no Centro de Convenções (Avenida Capitão Luís Pimenta, 811 – Parque Bitaru). 


Os atletas participantes serão premiados com medalhas e troféus. Os países que vão disputar as categorias são: Afeganistão; África do Sul; Alemanha; Argentina; Armênia; Austrália; Áustria; Bélgica; Bielorússia; Bolívia; Brasil; Bulgária; Canadá; Cazaquistão; Chile; China; Croácia; Egito; Emirados Árabes; Escócia; Eslováquia; Espanha; Estados Unidos; Finlândia; França; Geórgia; Grécia; Holanda; Índia; Inglaterra; Irlanda; Israel; Itália; Japão; Letônia; Lituânia; Marrocos; México; Mongólia; Nigéria; Noruega; Palestina; Panamá; Paquistão; Polônia; República Checa; Romênia; Rússia; Suécia; Suíça; Tailândia; Tajiquistão; Turquia; Ucrânia; Uzbequistão.

O campeonato existe há 34 anos e é organizado pela Confederação Brasileira de Luta de Braço e Halterofilismo, com apoio da Prefeitura Municipal de São Vicente, por meio da Secretaria de Esporte e Lazer do Município (Sespor), e das secretarias do Estado de Esporte, Lazer e Juventude e de Turismo. A última edição do evento aconteceu em Almaty, no Cazaquistão.

Atualmente, o Brasil ocupa a 5ª colocação no ranking de lutadores de braço no mundo, sendo o primeiro no ranking mundial Feminino, primeiro no Masculino, segundo na categoria Master+40, terceiro na categoria Júnior e pentacampeão mundial para portadores de deficiência física. Segundo um dos organizadores do evento no Brasil, Paulo Rogério de Oliveira Sabioni (Periquito), a modalidade cresceu muito desde a criação da Confederação Brasileira de Luta de Braço (CBLB) no ano de 1994. “Com o tempo, conseguimos apoio recebido pela Secretaria Nacional de Esportes de Alto Rendimento, Ministério de Esportes e, mais recentemente, da Secretaria da Juventude Esporte e Lazer do Estado de São Paulo. Sendo assim, estamos mantendo equipes Júnior, Adulto, Master, e portadores de deficiência física participando em todos os campeonatos mundiais. Outra grande vitória da modalidade são os programas de bolsa-atleta que “bracistas” filiados à CBLB foram contemplados nos Estados da Paraíba, Mato Grosso do Sul e atualmente pelo programa de bolsa do Ministério de Esportes”, explica Periquito.



Quem quiser conferir as disputas no Centro de Convenções, a entrada é franca. A próxima edição do Campeonato Mundial de Luta de Braço será realizada em Varsóvia, na Polônia.

Esporte – Segundo as organizações e os praticantes da Luta de Braço, não há uma data específica para o surgimento deste esporte. O que se sabe é que este desafio entre duas pessoas usando o braço vem antes de Cristo, prova disto é que civilizações como egípcia, grega e romana esboçaram esta prática em pinturas, escrituras, estátuas etc.

No Brasil, a Luta de Braço tornou-se um esporte conhecido na década de 1950, quando um importante jornal de esporte (Gazeta Esportiva) passou a realizar campeonatos populares no País. Neste cenário, surgiram nomes como: Nivaldo Felix Cerqueira, Hugues Jorge, Miro Olaves, João Dimasio, Jorge Zeleniquea, Sérgio Capeli, Celso Capeli, Célio Capeli, Silvio Fiuza, Nelson Costa de Araújo, Renato Corio e outros que se tornaram atletas de maior expressão naquela época. Esses eventos realizados pela Gazeta Esportiva duraram até a metade da década de 1960.

A prática desta modalidade tornou-se um esporte oficial internacionalmente em 1967, quando foi fundada a World Armwrestling Federation (WAF), entidade que hoje tem cerca de 117 países filiados. No Brasil, a Luta de Braço tornou-se oficial em 1977.


terça-feira, 11 de setembro de 2012

Conheça treino de 11 minutos para ficar em forma sem sair de casa


Quanto tempo uma pessoa precisa para ficar em forma? 

Segundo o método de exercícios criado pelo cientista e atleta Bill Orbin para os pilotos da Força Aérea Canadense, apenas 11 minutos por dia.
A técnica, criada no fim dos anos 50 e reproduzida no livro "Mantenha-se Fisicamente em Forma" (Global Editora, 108 págs.), alterna alongamento com abdominais, flexões e corrida sem sair do lugar. Tudo pode ser feito em casa, sem aparelhos.
Apesar de antigo, o método tem praticantes fiéis, entre eles a atriz Bibi Ferreira, que, em entrevista à revista Serafina, disse fazer os exercícios diariamente.
Para Fernanda Rodrigues Lima, reumatologista e coordenadora do Laboratório de Condicionamento Físico do Hospital das Clínicas de São Paulo, a técnica é atual.
"A proposta é fazer exercícios de alta intensidade em um curto período. Estudos recentes mostram que essa opção tem resultados semelhantes às práticas menos intensas de longa duração."
De acordo com a reumatologista, o método já passou por várias pesquisas entre os anos 80 e 90 e todas comprovaram sua eficiência. "Depois disso, deixou de ser citado. Interessante voltar agora."
A técnica tem uma versão para homens, chamada de 5BX, e outra para mulheres, a XBX. São cinco exercícios (as fotos ao lado mostram os tipos de movimento). A intensidade e o número de repetições seguem tabelas que variam de acordo com a idade e com o grau de dificuldade.
Segundo Lima, quem tem hipertensão, problema no coração ou nas articulações não deve fazer o programa. "Alguns exercícios desgastam as articulações e podem causar danos a pessoas com reumatismo." Na dúvida, é melhor procurar um médico antes de iniciar a atividade.
 O personal trainer Bruno Mantovani mostra alongamento: estique os braços acima da cabeça; curve o tronco até tocar o chão com a ponta dos dedos e levante-se erguendo os braços. Não force os joelhos na tentativa de esticá-los. Repita por dois minutos
Faça abdominais simples. Deite de costas com os joelhos unidos e flexionados, mantenha as mãos na cabeça e erga o tronco em direção aos joelhos. Repita em ritmo acelerado por um minuto
Exercício para pernas e glúteos. De bruços, mantenha os braços esticados ao lado do corpo. Levante a cabeça e uma perna enquanto a outra perna permanece no chão. Repita o movimento alternando as pernas por um minuto
Exercício de flexão. Deite com a barriga para baixo. Com as mãos espalmadas no chão e alinhadas com os ombros, erga o tronco do chão e retorne até quase tocar o solo. Mantenha os joelhos no chão caso tenha dificuldade. Repita por um minuto
Corra no mesmo lugar, erguendo os joelhos em direção ao tronco. A cada 75 'passos', dê dez 'pulos da tesoura' (estenda a perna direita e o braço esquerdo para frente, e a perna esquerda e o braço direito para trás; pule trocando a posição das pernas e dos braços). Repita por 6 minutos
REPETIÇÃO
"O método funciona, mas pode se tornar desinteressante depois de um tempo. É muito técnico, sem momentos de brincadeira", afirma Raul Santo de Oliveira, professor de fisiologia do exercício da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).
Outro ponto negativo, de acordo com o fisiologista, é que a rotina é solitária e, por isso, pode não ser interessante para idosos. "Nesta fase, a atividade física deve levar em conta a socialização."
Para o diretor técnico da rede de academias Bio Ritmo, Saturno de Souza, os exercícios do método continuam sendo usados, mas de forma diferente. "Usamos aparelhos e integramos os movimentos em rotinas mais variadas."
Segundo Souza, a prática trabalha músculos importantes nas regiões da coluna lombar, da bacia e da pélvis. Mas, para ele, as técnicas atuais têm melhores resultados. "Hoje, há sequências específicas de alongamento e séries para a parte aeróbica."
Fonte: Email recebido